ESPAÇO

Sondas da NASA detectam nova interação física, exclusiva do meio interestelar

Por: HISTORY Brasil

As sondas Voyager, da NASA, lançadas em 1977,  continuam a fazer novas descobertas. Agora, elas conseguiram detectar pela primeira vez rajadas de elétrons de raios cósmicos acelerados por ondas de choque, que nascem de grandes erupções no Sol. Trata-se de uma nova interação física, jamais observada anteriormente. O estudo foi liderado por uma equipe de físicos da Universidade de Iowa.

De acordo com os cientistas, essas rajadas de elétrons viajam quase na velocidade da luz, aproximadamente 670 vezes mais rápido que as ondas de choque que as impulsionaram a princípio. As explosões foram seguidas por oscilações de ondas de plasma, causadas por elétrons de menor energia que conseguiram chegar aos instrumentos das sondas Voyager dias depois.



As ondas de choque emanaram de ejeções de massa coronal, que são emissões de gás quente e energia que se movem para fora do sol a cerca de 1,6 milhão de quilômetros por hora. Mesmo nessa velocidade, elas levam mais de um ano para alcançar as sondas Voyager, que viajaram para mais longe do Sol do que qualquer outro objeto de fabricação humana (cerca de 19 bilhões de quilômetros de distância).

"A ideia de que as ondas de choque aceleram as partículas não é nova", disse Don Gurnett, professor emérito em física e astronomia da Universidade de Iowa. "[Mas] detectamos o fenômeno em um novo domínio: o meio interestelar, que é muito diferente do vento solar, onde processos semelhantes foram observados", completou.



A descoberta, publicada na revista Astronomical Journal, pode ajudar os físicos a entender a dinâmica que sustenta as ondas de choque e a radiação cósmica provenientes de estrelas em erupção e em explosão. Os dados obtidos serão importantes para as viagens dos astronautas, expostos a concentrações de raios cósmicos. 


Fontes: Universidade de Iowa e Space.com

Imagens: NASA / JPL