Tá Na História

Três mulheres que se destacaram na luta contra a escravidão no Brasil

Por Thiago Gomide do Tá na História.

Parceria HISTORY e Ta Na História

 

Nos quase quatro séculos terríveis de escravidão no Brasil diversas mulheres enfrentaram o poder para que conseguíssemos chegar à abolição.

Nesse vídeo, contamos a participação de Chiquinha Gonzaga, Maria Firmina dos Reis e Maria Amélia de Queiroz nessa luta.

Numa época de extremo machismo, Chiquinha Gonzaga mandou o marido às favas e ficou com a música.

A família achou isso um absurdo, foi mandada embora de casa e o pai a deserdou. 

Ela participou de diferentes concertos abolicionistas, declarando sua luta contra a escravidão.

Em 1888, Chiquinha passou o pires para conseguir alforriar o Zé Flauta, um homem escravizado que era músico. 

Maria Firmina dos Reis deu um verdadeiro soco no estômago da sociedade com “Úrsula”, livro que trazia o olhar da mulher escravizada. 

Os detalhes da dolorosa viagem e práticas de tortura estão presentes.   

A professora pernambucana Maria Amélia de Queiroz, além de muitos discursos e mobilizações para o fim da escravidão, deu aula de alfabetização para pessoas escravizadas.

Você consegue imaginar o choque disso? 

O Tá na História te conta os detalhes. Aperte o play!

 


THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade. 


Imagem:  Domínio Público