SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Último soldado que participou da libertação de Auschwitz morre aos 98 anos

Combatente pelo Exército Vermelho, David Dushman usou um tanque para derrubar a cerca elétrica do campo de concentração
Por: HISTORY Brasil

David Dushman, o último soldado sobrevivente que teve participação na libertação de Auschwitz, morreu aos 98 anos, na Alemanha. Como membro do Exército Vermelho Soviético na Segunda Guerra Mundial, ele usou um tanque para derrubar a cerca elétrica do campo de concentração que se tornou símbolo do Holocausto. Mais de um milhão de pessoas foram assassinadas no local pelos nazistas, a maioria judeus.

Último libertador de Auschwitz

“Cada testemunha contemporânea que morre é uma perda, mas dizer adeus a David Dushman é particularmente doloroso", disse Charlotte Knobloch, presidente da comunidade judaica de Munique e da Alta Baviera. "Dushman estava na linha de frente quando a máquina de assassinato dos nazistas foi destruída em 1945. Como herói de Auschwitz, ele foi um dos libertadores do campo de concentração e salvou inúmeras vidas", completou.



Dushman era um judeu russo. Durante a guerra, fez parte de uma divisão de 12 mil homens, da qual apenas 69 combatentes sobreviveram. Ele sofreu ferimentos graves durante o conflito, mas se tornou o melhor esgrimista da União Soviética.



Mais tarde, Dushman se consagrou como um dos maiores técnicos de esgrima do mundo, treinando a equipe feminina soviética de 1952 a 1988. Na década de 1990, Dushman emigrou para a Áustria e, posteriormente, para a Alemanha, passando a viver em Munique.

O campo de concentração de Auschwitz-Birkenau foi o maior centro de extermínio da história do nazismo. Calcula-se que 1,3 milhão de pessoas tenham sido assassinadas lá, sendo 90% judeus. Também foram executados 150 mil poloneses, 23 mil ciganos romenos, 15 mil prisioneiros de guerra soviéticos, cerca de 400 Testemunhas de Jeová e dezenas de milhares de pessoas de diversas nacionalidades. 

VER MAIS:


Fontes: CNN e BBC 

Imagem: YouTube/Reprodução