ARQUEOLOGIA

Uma das mais populares tecnologias modernas, na verdade, tem mais de mil anos

Um estudo publicado no Journal of Archaeological Science aponta que o aço cromo - ou aço inoxidável - foi fabricado pela primeira vez na Pérsia, quase um milênio antes do que se acreditava. A descoberta foi feita com a ajuda de manuscritos persas medievais, que levaram os pesquisadores a um sítio arqueológico em Chahak, no sul do Irã.

Atualmente, o aço inoxidável é quase onipresente na vida moderna, sendo usado nos mais diversos utensílios como proteção contra a ferrugem. Até agora, acreditava-se que a tecnologia teria surgido no século XX, mas o novo estudo desmistifica essa ideia.  "Nossa pesquisa oferece a primeira evidência da adição deliberada de um mineral de cromo na produção de aço. Acreditamos que trata-se de um fenômeno persa", disse a doutora Rahil Alipour, autora do estudo e pesquisadora da University College London.

Graças a um manuscrito do século X ou XI chamado al-Jamahir fi Marifah al-Jawahir ("Um compêndio para conhecer joias"), escrito pelo persa Abu-Rayhan Biruni, os profissionais tiveram acesso à única receita conhecida para fazer aço em cadinhos. Essa fórmula registrava um ingrediente misterioso que eles identificaram como minério de cromita para a produção de aço cromo. Análises usando Microscopia Eletrônica de Varredura permitiram comprovar a presença desse minério na peça de aço encontrada em Chahak.

A localidade de Chahak é descrita em uma série de manuscritos históricos que datam do século XII ao XIX como um centro de produção de aço famoso no passado. "Essa pesquisa não apenas fornece as primeiras evidências conhecidas da produção de aço cromo datando do século XI d.C., mas também oferece um marcador químico que pode ajudar na identificação de artefatos de aço em museus ou coleções arqueológicas desde sua origem em Chahak", disse Alipour.


Fontes: La Nación, IFLScience e University College London, via EurekAlert

Imagens: Shutterstock.com e Rahil Alipour/University College London