PANDEMIA

"Visons zumbis" parecem escapar das covas após sacrifício devido ao coronavírus

No início de novembro, o governo da Dinamarca anunciou que iria abater 17 milhões de visons devido ao risco de transmissão de uma mutação do coronavírus a humanos. A decisão causou controvérsia e as autoridades chegaram a recuar da medida. Apesar disso, o sacrifício em massa foi colocado em prática e teve uma consequência inesperada: o surgimento de "visons zumbis".

Segundo relatos, os animais foram enterrados em valas coletivas e muitos deles emergiram de suas covas rasas. O fenômeno macabro tem causas naturais. “Conforme os corpos se decompõem, gases podem se formar”, disse Thomas Kristensen, porta-voz da polícia nacional “Isso faz com que tudo se expanda um pouco. Desta forma, nos piores casos, os visons são empurrados para a superfície”, completou.

Policiais da região da Jutlândia Ocidental, onde milhares de visons foram enterrados em um campo de treinamento militar, tentam contornar o problema. Eles colocaram uma camada a mais de terra em cima dos corpos, que haviam sido sepultados em uma trincheira de 1 metro de profundidade.

Ambientalistas denunciam um outro problema relacionado ao sepultamento dos visons. Muitos deles foram enterrados próximos a lagos e mananciais, o que pode contaminar os reservatórios de água. "Parece que ninguém sabe ao certo as consequências disso ”, disse Susan Münster, do conselho dinamarquês da água. "Devo confessar que acho isso preocupante", completou. Ao menos dois prefeitos da região exigiram que os visons fossem desenterrados e incinerados.

A justificativa do governo para o abate dos animais é o temor de que a nova cepa do vírus possa comprometer a eficácia de futuras vacinas contra a COVID-19. A primeira ministra Mette Frederiksen citou um relatório que afirmava que o vírus mutante enfraquece a capacidade do corpo de formar anticorpos, tornando potencialmente ineficazes as vacinas em desenvolvimento. Entre 15 e 17 milhões de visons vivem em cerca de 1.100 fazendas dinamarquesas. O projeto de abate exterminaria todo o rebanho do país. Até agora, 10 milhões já foram mortos.


Fontes: The Guardian e HuffPost

Imagem: Shutterstock.com