lua

Viver na Lua: quanto custa ter uma casa entre as estrelas?

Trata-se de um luxo para poucos, já que viver entre as estrelas tem seu preço
Por: HISTORY Brasil

A ideia de começar uma nova vida na Lua pode parecer absurda, mas futuramente pode se tornar uma alternativa real. Com o avanço da tecnologia e a superpopulação da Terra, há pessoas planejando uma mudança para uma distância de mais de 384 mil quilômetros do planeta. No entanto, trata-se de um luxo que poucos poderiam desfrutar, já que viver entre as estrelas e adotar um estilo de vida lunar tem seu preço.

Investimento para morar na Lua

O site britânico Money.com criou um curioso guia de simulação de valores para os interessados em investimentos lunares. Antes de tudo, é preciso conseguir uma licença de propriedade do terreno para começar a construir uma casa. Um acre lunar (cerca de 0,40 hectare) pode custar entre 19 dólares (na região conhecida como Mare Vaporum) e 131 dólares (no Mare Imbrium).



Também é necessário levar em conta os custos de construção em condições climáticas extremas em um ambiente de gravidade zero. Calcula-se que seriam necessários 26 trabalhadores, além de ferramentas, equipes e materiais, para a construção de uma casa de aproximadamente 76 metros quadrados. No total, a primeira casa em pleno funcionamento na Lua pode custar cerca de 50 milhões dólares.

O site aponta ainda que após a construção da primeira casa, o custo para transportar equipamentos e ferramentas para a Lua seria subtraído e permitiria que outras residências fossem construídas a um preço mais barato, de "apenas" 40 milhões de dólares. Depois de construir a residências, o morador lunar ainda teria que arcar com outros gastos, como fornecimento de energia. A maneira mais eficiente de gerar eletricidade na Lua, por exemplo seria comprar um pequeno reator nuclear que custa mais de 1 bilhão de dólares. Uma alternativa mais barata seria investir 23 mil dólares em 34 painéis solares que gerariam eletricidade suficiente para operar uma casa.



VER MAIS:


Fontes: La Nación e Money.com

Imagens: Shutterstock.com