ALIENÍGENAS DO PASSADO

Você mumificaria o seu corpo? Entenda por que essa antiga tradição segue até hoje

Por: HISTORY Brasil

O que Lenin, Ho Chi Minh e o Papa João Paulo II têm em comum? Para responder a essa pergunta com maior precisão, não é necessário pensar em aspectos de suas vidas, mas no que aconteceu com eles depois de mortos: os três são, atualmente, múmias. E levando em consideração que a mumificação é todo o processo de preservação dos corpos após o falecimento, os personagens mencionados, ao lado de muitos outros líderes políticos e milhares de pessoas desconhecidas, cujos cadáveres são embalsamados diariamente, são a continuidade de uma tradição que remonta às civilizações antigas e é ainda presente: o trabalho sobre os defuntos.

Essa continuidade notável dá espaço para uma série de perguntas apaixonantes, cujas respostas podem ser inesperadas: por que sociedades tão distintas, de épocas e crenças tão diferentes como as do Egito Antigo e da antiga União Soviética acreditavam no valor da mumificação? O que explica essa tendência de preservar o corpo dos mortos? Como mudaram as técnicas e tecnologias de mumificação com o decorrer dos séculos?



Veja no vídeo abaixo por que pessoas das mais diferentes nacionalidades, anônimos ou não, acreditam que a morte não passa de um começo e por que seria necessário manter a aparência dos seus corpos como se estivessem ainda com vida: