Início

Brasileiros entram para o Livro dos Recordes ao criar casco 3D para jabuti

Animal que recebeu a prótese se chama Freddy e perdeu sua carapaça durante um incêndio

Pesquisadores brasileiros entraram para o Livro Guinness dos recordes por terem criado o primeiro casco artificial 3D de um jabuti. A façanha acaba de ser registrada na mais nova edição da publicação internacional. O animal que recebeu a prótese, uma fêmea chamada Freddy, havia sido ferida durante um incêndio em uma área de Cerrado perto de Brasília. 

Criação da prótese 3D


Freddy foi encontrada em 2015, na beira de uma estrada, com 85% de sua carapaça destruída. Posteriormente, ela ainda ficou sem os 15% restantes do casco. Enquanto se recuperava, o animal sofreu duas crises de pneumonia e ainda ficou 45 dias sem comer. A fêmea de jabuti foi tratada por Rodrigo e Mateus Rabelo, irmãos veterinários que trabalham com animais silvestres.

Jabuti Freddy recebe prótese 3D


Uma equipe de voluntários composta por médicos veterinários, cirurgiões dentistas e um designer assumiu a missão de criar um novo casco para Freddy. Segundo o designer Cícero Moraes, foi empregada uma técnica conhecida como fotogrametria. O processo também é utilizado em diferentes áreas, como arqueologia, ciência forense e arquitetura.

Fotos do casco de um jabuti saudável foram usadas para criar o modelo da prótese. As impressões 3D foram feitas pelos cirurgiões dentistas Paulo Miamoto e Paulo Esteves, que prepararam as peças para que elas pudessem ser implantadas em Freddy. Depois, a fêmea de jabuti foi submetida a uma cirurgia, conduzida pelo veterinário Roberto Fecchio, para receber a nova carapaça. 

Como toque final, o casco recebeu uma pintura realística produzida pelo engenheiro e artista plástico Yuri Caldeira.  Atualmente, Freddy vive em uma chácara com outros animais silvestres.

Fontes
CNN
Imagens
Animal Avengers/Cícero Moraes/Reprodução