Hoje na história

24.jun.1997

Força Aérea dos EUA informa sobre Roswell

Em 24 de junho de 1997, oficiais da Força Aérea dos EUA publicaram um relatório de 231 páginas negando relatos de longa data sobre um acidente com uma nave espacial em Roswell, no Novo México, quase 50 anos antes.

O interesse público em objetos voadores não identificados, ou óvnis, começou a surgir nos anos 40, quando avanços em viagens espaciais e o início da era atômica fizeram com que muitos americanos voltassem suas atenções para os céus. A cidade de Roswell, localizada perto do rio Pecos, no sudeste do Novo México, virou um ímã para os que acreditavam em óvnis devido a estranhos eventos no início de julho de 1947, quando o fazendeiro W.W. Brazel encontrou um estranho e brilhante objeto espalhado em um trecho de sua terra. Ele, então, mostrou-o ao xerife, que, por sua vez, entregou-o às autoridades de uma base da Força Aérea nas proximidades. Em 8 de julho, oficiais da Força Aérea anunciaram que haviam recuperado restos de um “disco voador”. Um jornal local noticiou a história em suas manchetes e lançou Roswell ao centro das atenções do fascínio público por óvnis.

Mas logo a Força Aérea voltou atrás na sua história, dizendo que os destroços eram apenas de um balão meteorológico. À exceção dos fanáticos por óvnis ou ufologistas, o interesse público no chamado “Caso Roswell” foi desaparecendo até o final dos anos 70, quando surgiram alegações que os militares tinham inventado a história do balão meteorológico como um acobertamento. Apoiadores dessa teoria argumentavam que os oficiais, na verdade, haviam recuperado vários corpos alienígenas da nave acidentada, os quais estavam alojados na misteriosa Área 51, em Nevada. Para afastar essas suspeitas, a Força Aérea lançou um relatório de mil páginas em 1994, afirmando que o objeto acidentado era, na realidade, um balão meteorológico de grande altitude lançado de um local de teste de mísseis nas proximidades, como parte de um experimento confidencial que pretendia monitorar a atmosfera para detectar possíveis testes nucleares soviéticos.

Em 24 de julho de 1997, quase uma semana antes da comemoração exótica do 50º aniversário do incidente, a Força Aérea publicou outro relatório sobre o controverso assunto. Intitulado como “The Roswell Report, Case Closed” (O Relatório de Roswell, Caso Encerrado, na tradução), o documento afirmava, em tom definitivo, que não havia nenhuma evidência no Pentágono de que qualquer forma de vida havia sido encontrada na área de Roswell com relação a supostos avistamentos de óvnis, e que os “corpos” encontrados não eram alienígenas, porém manequins utilizados em testes de paraquedas realizados naquela região. Quaisquer esperanças que isso colocaria um fim à discussão sobre o acobertamento foram em vão, já que ufologistas furiosos correram para apontar as inconsistências do relatório. Com teorias de conspiração ainda vivas e sólidas na internet, Roswell continua sendo um destino turístico para entusiastas de óvnis em todo o mundo, hospedando o UFO Encounter em julho e acolhendo visitantes durante todo o ano ao International UFO Museum and Research Center.

Image: Slaunger - Own work