Hoje na história

31.Maio.0455

Imperador romano Petrônio Máximo é apedrejado até a morte

O imperador romano Petrônio Máximo foi apedrejado até a morte por uma multidão enfurecida em 31 de maio de 455. Ele teve o corpo mutilado e atirado no rio Tibre. Seu reinado durou apenas 75 dias. 

Antes de assumir o poder, Petrônio Máximo, um rico aristocrata, exerceu o cargo de senador. Ele esteve por trás dos assassinatos do general Flávio Aécio e de seu antecessor, o  imperador romano Valentiniano III. Máximo conquistou o trono no dia seguinte à morte de Valentiniano, garantindo o apoio do Senado e subornando os funcionários do palácio. 

Para se fortalecer no poder, Máximo forçou Licínia Eudóxia, a viúva de Valentiniano, a se casar com ele. Além disso, ele também cancelou o noivado entre Eudócia (filha de sua nova esposa e de Valentiniano) e o filho de Genserico, rei dos vândalos. Máximo ainda obrigou que ela se casasse com seu filho.

A atitude enfureceu sua enteada e Genserico, que enviou uma frota para Roma. Máximo tentou conquistar o apoio dos visigodos, mas falhou nessa missão. Assim, ele fugiu quando os vândalos chegaram. Durante a fuga, o imperador se perdeu de seus guarda-costas e acabou assassinado. Em seguida, os vândalos invadiram e saquearam Roma.


Imagem: Wikimedia Commons