Hoje na história

17.Abr.1695

Morre Sóror Juana Inés de la Cruz

Juana Inés de Asbaje y Ramírez de Santillana Gonzáles y España, conhecida como Sóror Juana Inés de la Cruz, ou simplesmente Sóror Juana, foi uma religiosa católica, poeta e dramaturga novo-espanhola. Nasceu em 12 de novembro de 1651, no México, e faleceu em 17 de abril de 1695. Pela importância de sua obra, recebeu os apelidos de A Fênix Mexicana e a Décima Musa. Entre suas obras estão diversos poemas galantes, poemas de ocasião para presentes ou aniversários de seus amigos, poemas de vestíbulo sobre pés ou consonâncias sugeridos por outros, letras para serem cantadas em diversas celebrações religiosas, e duas comédias chamadas "Amor es más laberinto" e "Los empeños de una casa". Sóror Juana aparece nas cédulas mexicanas de alta denominação. É a única artista que aparece nas cédulas, além de Nezahualcóyotl, também poeta. Inicialmente apareceu nas cédulas de mil pesos, que com a inflação terminaram virando moedas. Depois da eliminação dos três zeros no peso, Sóror Juana saiu de circulação brevemente para reaparecer nas cédulas de duzentos. Sóror Juana foi uma menina precoce. Aos três anos aprendeu a ler junto com seu avô materno, Pedro Ramírez.

 


Imagem:  [Domínio público], via Wikimedia Commons