NAZISMO

Candidato a vereador que tem piscina com suástica desiste de concorrer em SC

Em 2014, durante um voo de helicóptero, policiais avistaram a imagem de uma suástica no fundo de uma piscina residencial em Pomerode, Santa Catarina. Este ano, o dono da casa, Wandercy Antonio Pugliesi, se candidatou a vereador na cidade. Após o caso do símbolo nazista ter sido relembrado pela imprensa, ele desistiu de concorrer ao cargo. 

Pugliesi comunicou a decisão da desistência ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por meio de uma carta. Ele era filiado ao Partido Liberal (PL). Quando o caso da suástica voltou à tona, o partido emitiu uma nota afirmando que iria expulsá-lo do partido “por não compactuar ideologicamente” com ele. No mesmo dia, a legenda informou que Pugliesi havia pedido seu desligamento. O candidato afirmou em seu comunicado ao partido que havia sido "vítima de uma campanha midiática de difamação" e justificou sua renúncia pela repercussão da notícia da candidatura. 

Inscrito no TSE como "Professor Wander", Pugliesi deu aulas de História para alunos do Ensino Médio durante anos na região do Vale do Itajaí. Em 1998, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), materiais com mensagens de apologia ao regime nazista foram apreendidos pela Polícia Federal em sua residência, mas ele não chegou a ser condenado criminalmente.

Na época em que a suástica foi avistada em sua piscina, Pugliesi não chegou a ser enquadrado pois a polícia avaliou que ele não fez apologia ao nazismo publicamente. Segundo a instituição, como a piscina fica dentro da residência, a presença do símbolo não caracterizaria um crime.

Pela lei brasileira, apologia ao nazismo é crime. Nem é necessário haver atos de violência ou incitação direta à violência para que o delito ocorra. O código penal prevê pena de reclusão de dois a cinco anos para quem "fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo".


Fonte: G1

Imagens: Reprodução e TSE