KADILLAC

Disco de matéria escura estaria por trás da extinção dos dinossauros, sugere estudo

Um estudo recente sugere uma nova e surpreendente explicação para a maior extinção que pode ter ocorrido na face da Terra. Dois físicos da Universidade de Harvard, Lisa Randall e Matthew Reece, sugerem que um disco fino de matéria escura, escondido dentro de galáxias ou muito próximo delas, seria o responsável por algumas das extinções em massa que ocorreram em nosso planeta, como a que exterminou os dinossauros. O modelo investigado se baseia em uma forma hipotética de matéria escura: um "disco escuro" que poderá ser testado, em breve, por observações astronômicas. Esse disco está no meio da Via Láctea e a atravessa por toda sua extensão – o Sistema Solar orbita o centro da galáxia e, ao fazê-lo, move-se para cima e para baixo, em um ciclo de aproximadamente 70 milhões de anos, que seria percorrido pelo disco a cada 35 milhões anos... Período esse que coincide com o ciclo de impacto de cometas sobre a Terra. O ciclo de 35 milhões de anos também foi detectado no estudo de crateras encontradas no planeta. Mais especificamente, aqueles com mais de 20 quilômetros de largura e originados nos últimos 250 milhões de anos. Em comparação com os bombardeios de cometas aleatórios, seu modelo tem um coeficiente com razão de probabilidade 3, ou seja, possui uma coincidência três vezes maior que uma velocidade aleatória. Vale lembrar que a base desse estudo é especulativa, pois falta confirmar o padrão da frequência dos impactos dos cometas e a própria existência do disco de matéria escura. No entanto, Randall e Reece afirmam que a pesquisa é importante: "Estamos falando em transformar essa ideia meio doida em ciência, o que não significa que acreditamos 100% nela, mas que pode ser verdade, pode".  
Veja também