LA HISTORIA DEL MUNDO EN DOS HORAS

Estudo afirma que a água do Planeta Terra pode ter origem diferente da que conhecemos

Um trabalho científico conseguiu confirmar a presença de uma enorme quantidade de água - até três vezes o volume dos mares superficiais - incrustada sob a pressão entre rochas localizadas a 600 quilômetros de profundidade. O achado também joga uma nova luz sobre teorias que tratam da origem da água em nosso planeta. Trata-se de um oceano subterrâneo, mas não um aquífero: a água (H2O) se encontra incrustada nas rochas, não como um lago subterrâneo, mas está dentro de um mineral chamado ringwoodite. Aprisionada a 600 quilômetros abaixo da terra, a água se transforma em uma hidroxila (OH) para se combinar ao mineral, por conta das condições extremas de pressão e temperatura dessa região do manto terrestre. O pesquisador encarregado do trabalho, o geofísico Steve Jacobsen da Universidade de Northwestern, Estados Unidos, sustenta que essa descoberta acarreta na renovação de evidências de que a água na superfície do planeta pode provir de seu interior, catapultada pela atividade biológica. Esse é um verdadeiro desafio para os manuais da ciência, que sempre abraçaram a hipótese de que o elemento vital chegou à Terra a partir do espaço, pela ação de incontáveis chuvas de cometas. "Finalmente, temos evidências de um ciclo de água de todo o planeta, o que pode ajudar a explicar a grande quantidade de água líquida que existe na superfície e torna nosso planeta habitável. Os cientistas têm buscado essa água profunda e perdida há décadas", afirmou o geofísico.  

Veja também

   

Fonte: La Voz

   

 

Imagem: Paul Chin (originally posted to Flickr as Caves entrance/exit) [CC BY-SA 2.0], via Wikimedia Commons