GUERRAS

O ermitão de 83 anos que levou um batalhão nazista ao extermínio

Essa é a história de Matvey Kuzmin, o ancião que, com 83 anos nas costas, conseguiu derrotar um batalhão do exército alemão durante Segunda Guerra Mundial.

Diz a lenda que Kuzmin era um ancião ermitão, que vivia com seu neto, Vasilij, nas florestas que rodeiam sua cidade natal, Kurakino. No ano de 1942, em plena ofensiva nazista contra a União Soviética, sua única preocupação era conseguir o sustento do dia, seja caçando ou pescando, e a madeira suficiente para não passar muito frio.

[VEJA TAMBÉM: Saiba qual é o único caso ativo de caça a nazistas nos EUA]

Seus dias corriam normalmente até que, repentinamente, ele topou com um batalhão da primeira divisão de montanha do exército alemão. Em troca de ele servir de guia, através da mata fechada, para conseguir surpreender o exército vermelho na retaguarda, um comandante nazista lhe ofereceu comida, querosene e um rifle de caça.

Kuzmin aceitou o acordo, ou pelo menos assim o demonstrou: embora não simpatizasse com o regime stalinista, ele não estava disposto a ser um traidor. Por isso, enquanto o batalhão montava sua estratégia, ele conseguiu se comunicar com o exército soviético, através do seu neto, Vasilij, que conhecia perfeitamente a rota mais curta até onde estavam as tropas soviéticas.

O plano era levar os nazistas por um caminho difícil, de modo que chegassem exaustos até um determinado ponto, o qual foi informado oportunamente ao exército soviético. Uma vez ali, os alemães seriam emboscados.

Foi assim que, com a neve até os joelhos, o pelotão alemão chegou tremendo de frio ao local onde os soviéticos os esperavam. De repente, o fogo das metralhadoras vermelhas exterminou quase todos os alemães, à exceção de alguns poucos que conseguiram escapar.


Entretanto, nem tudo ocorreu conforme o planejado. Em meio ao tiroteio, e pouco antes de ser abatido, o comandante alemão disparou contra Kuzmin, matando-o. Em 1965, o ancião foi condecorado postumamente como herói da União Soviética.

 

 


Fonte: elcomercio.pe