LÍBANO

Por que a explosão que atingiu Beirute foi tão devastadora?

A megaexplosão que atingiu a região portuária de Beirute em 4 de agosto causou a morte de mais de cem pessoas e a destruição de muitos edifícios. Suspeita-se que a tragédia na capital do líbano tenha sido provocada por um incêndio em um armazém que guardava grandes quantidades de nitrato de amônio. Mas o que é essa substância e por que sua explosão é capaz de provocar efeitos tão devastadores?

O nitrato de amônio é um sal feito de amônio e ácido nítrico. A substância é usada em fertilizantes e na fabricação de bombas utilizadas principalmente em mineração. Quanto mais pura, maior sua capacidade explosiva. 

A substância não é considerada um explosivo por si só. Caso seja armazenado de forma adequada, o nitrato de amônio  é considerado seguro. Mas o material é instável e, a altas temperaturas, decompõe-se em dióxido de nitrogênio e vapor de água, tornando-se perigoso. Caso a substância seja exposta a uma temperatura acima de 290 °C, pode haver uma reação extremamente explosiva. A expansão dos gases liberados produz uma enorme onda de choque. 


JossK / Shutterstock.com

De acordo com o governo do Líbano, havia 2,7 mil toneladas de nitrato de amônio em um armazém no porto de Beirute, mas medidas de segurança não foram tomadas para evitar acidentes. A estocagem de uma quantidade tão grande da substância não é recomendada. Acredita-se que o incêndio que provocou a explosão tenha começado em um armazém vizinho, que continha fogos de artifício. 

A força da explosão de Beirute desencadeou uma onda de choque que se espalhou pela cidade, causando enorme destruição. Um tremor de 3,3 graus na escala richter foi registrado na região. Há relatos de que a explosão foi sentida até na Ilha de Chipre, a 160 km da costa libanesa. As imagens do acidente são impressionantes: formou-se uma cratera no lugar onde havia o armazém, inúmeros edifícios foram destruídos e pilhas de entulho se espalharam pela cidade. Ainda não se sabe o número total de mortos e feridos. 

No passado, acidentes foram provocados pelo nitrato de amônio em outros lugares do mundo. Em 1947, uma explosão de 2,3 mil toneladas da substância em um navio no porto no Texas, nos Estados Unidos, deixou 581 mortos e mais de 5 mil feridos. Em 2001, a explosão do estoque de nitrato de amônio de uma fábrica em Toulouse, na França, provocou a morte de 31 pessoas e deixou 2,5 mil feridos. Em 2004, houve 161 mortos e 1,3 mil feridos após a colisão entre um trem que transportava petróleo e vagões carregados de nitrato de amônio na Coreia do Norte.


Dan359 / Shutterstock


Fontes: Live Science, G1, Forbes e BBC

Imagem: Reprodução