Início

NASA alerta que oscilação da Lua pode causar aumento de enchentes em 2030

Trata-se do primeiro estudo que leva em conta todas as causas oceânicas e astronômicas que causam inundações

Cientistas da NASA alertam que uma combinação entre a oscilação da Lua e as mudanças climáticas poderá provocar um aumento de inundações na década de 2030. A pesquisa, que se concentra nas consequências do fenômeno nos Estados Unidos, aponta que cidades litorâneas serão especialmente atingidas. Trata-se do primeiro estudo que leva em conta todas as causas oceânicas e astronômicas que causam enchentes.

Enchentes de maré alta

A pesquisa prevê um aumento das chamadas enchentes de maré alta, que ocorrem nas áreas litorâneas quando as marés ficam cerca de 0,6 metros acima da média diária. Esses fenômenos também devem passar a ocorrer durante períodos mais longos, que podem durar um mês ou mais, dependendo das posições da Lua, da Terra e do Sol. “As áreas perto do nível do mar estão cada vez mais em risco devido ao aumento das inundações, e isso só vai piorar”, disse Bill Nelson, administrador da NASA. 

NASA alerta que oscilação da Lua pode causar aumento de enchentes em 2030 - 1

O principal motivo do aumento iminente das inundações é uma oscilação regular na órbita da Lua, que leva 18,6 anos para ser concluída. O fenômeno não é novo nem perigoso, tendo sido relatado pela primeira vez em 1728. A diferença é que agora ele se juntará com o aumento do nível do mar resultante do aquecimento global

"A combinação da atração gravitacional da Lua com o aumento do nível do mar e as mudanças climáticas continuará a exacerbar as inundações costeiras em nosso litoral (dos EUA) e em todo o mundo", explicou Nelson. "A equipe da NASA especializada em mudanças do nível do mar está fornecendo informações cruciais para que possamos planejar, proteger e prevenir danos ao meio ambiente e aos meios de subsistência das pessoas afetadas pelas enchentes”, completou.

VER MAIS


Fonte: NASA

Imagens: iStock e Hawaii Sea Grant King Tides Project, via NASA