ARQUEOLOGIA

Descoberta de cidade perdida pode revelar segredos da civilização mais antiga do planeta

Pesquisadores especulam que se trata da capital de um estado fundado após o fim da era babilônica
Por: HISTORY Brasil

Arqueólogos russos encontraram as ruínas de uma cidade perdida de 4 mil anos no Iraque. Os pesquisadores especulam que pode se tratar da capital de um estado fundado após o fim da era babilônica na antiga Suméria. A descoberta, feita na região de Tell al-Duhaila, conhecida por abrigar mais de 1.200 sítios arqueológicos, pode revelar segredos da civilização mais antiga do planeta.

Era babilônica

No local, foram encontrados vários artefatos, incluindo uma ponta de flecha enferrujada, vestígios de fogões e estátuas de camelo feitas de barro, que datam do início da Idade do Ferro. Os pesquisadores também encontraram os restos de uma parede de templo com cerca de dois metros de altura e quatro metros de largura. Além disso, foram localizados vestígios de um antigo porto onde navios fluviais e marítimos teriam ancorado.



“De acordo com o estudo arquitetônico do edifício mais antigo da cidade e com base nas características do projeto e seus enormes blocos, a estrutura provavelmente foi construída durante a antiga era babilônica. Ela reflete principalmente a cultura escrava, o período Neolítico e as primeiras Idades do Cobre”, afirmou o arqueólogo Alexei Jankowski-Diakonoff, que liderou as escavações.



Como o local ficou intocado por milhares de anos, Jankowski-Diakonoff espera encontrar documentos cuneiformes que podem trazer mais informações sobre a cidade perdida. "Pesquisar as cidades do sul da Mesopotâmia no final da antiga era babilônica - e o sítio arqueológico de Tell al-Duhaila em particular - revela os segredos de uma página desconhecida na história da civilização mais antiga do planeta", completou Jankowski-Diakonoff.

VER MAIS


Fontes: Daily Mail e Al-Monitor

Imagens: Instituto de Arqueologia da Academia Russa de Ciências/Reprodução