Sarcófagos

Maldição da múmia? Sarcófago de 2500 anos é aberto no Egito

Recentemente, arqueólogos encontraram dezenas de sarcófagos lacrados na necrópole de Saqqara, no Egito. Em um primeiro momento, foram localizados 13 deles, mas agora o número de caixões descobertos já chega a 59. Um deles foi aberto por representantes do Ministério do Turismo e Antiguidades do país durante uma cerimônia pública.

A descoberta de tantos sarcófagos lacrados é um dos achados arqueológicos mais significativos em décadas. Vários deles mantêm suas cores ornamentadas originais, mesmo após terem passado milênios embaixo da terra. Os caixões foram encontrados empilhados uns sobre os outros em três poços a uma profundidade de 11 metros. Acredita-se que possa haver ainda mais deles no local.

Embora ainda sejam necessárias muitas pesquisas para identificar as pessoas que foram sepultadas lá, os especialistas acreditam que as múmias sejam de sacerdotes e de autoridades do Egito antigo. No local, também foram encontrados artefatos como amuletos e estatuetas de madeira do deus Ptah Sukkar. Outra descoberta de destaque é uma escultura de bronze de 35 cm do deus Nefertum, incrustada com pedras preciosas. Em sua base está escrito o nome do sacerdote Badi-Amon, possivelmente o dono da peça.

A cerimônia de apresentação dos 59 sarcófagos também gerou críticas. Muitos usuários de redes sociais questionaram o aglomeramento de pessoas no local em plena pandemia de COVID-19. Por outro lado, a abertura do caixão deu origem a brincadeiras envolvendo a possibilidade da liberação de mais uma "maldição" a afetar 2020. Confira abaixo um vídeo mostrando o sarcófago sendo aberto:

 


Fontes: Arab News, CNN e Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito

Imagens: Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito