VIAGENS ESPACIAIS

Viagens espaciais na velocidade da luz podem se transformar em realidade, diz estudo

Ideia é usar o conceito de dobra espacial para alcançar esse feito
Por: HISTORY Brasil

Naves capazes de atingir a velocidade da luz e além são temas de obras de ficção científica há décadas. Um novo estudo pode ajudar a transformar esse sonho em realidade. O projeto foi baseado nas ideias do físico mexicano Miguel Alcubierre, que há mais de 20 anos propôs uma teoria que envolve o conceito de dobra espacial

Dobra espacial para viajar na velocidade da luz

A Propulsão de Alcubierre (ou Dobra Espacial) é um modelo matemático teórico que propõe uma forma de viagem espacial mais rápida que a luz. O físico sugeriu um método de alongamento do espaço em uma onda que, em teoria, poderia fazer com que o tecido do espaço à frente de uma nave espacial se contraia, enquanto o tecido atrás dela se expandiria. A nave se deslocaria surfando esta onda dentro de uma região conhecida como bolha de dobra, onde as características normais do tecido espaço-tempo se manteriam inalteradas.



A teoria proposta por Alcubierre havia sido rejeitada pela comunidade científica em geral, que dizia que os seres humanos jamais poderiam fabricar estruturas de impulsão baseadas na deformação do espaço-tempo. O grande problema é que para colocar a ideia em prática seria necessário acumular muita energia negativa, algo que não é possível de acordo com as leis da física. A própria NASA teria fracassado na tentativa de desenvolver esses tipos de sistemas.

No entanto, o novo estudo sugere que essas dificuldades teriam sido solucionadas. Publicado na revista científica Classical and Quantum Gravity, ele é assinado por membros do grupo independente Applied Physics, que se dedica a aconselhar empresas e governos sobre assuntos científicos. “Fomos em uma direção diferente da NASA e de outros pesquisadores (...). Formulamos novos tipos de soluções de dobra espacial que não necessitam de energia negativa e que, portanto, podem acontecer no mundo físico”, revela Alexey Bobrick, um dos autores do artigo.



Porém, prescindir da energia negativa do modelo de Alcubierre implica um custo em termos de velocidade. O motor de dobra espacial proposto no novo estudo “é subliminar e, ao menos a princípio, pode ser construído com base nos princípios físicos conhecidos hoje pela humanidade. Não supera a velocidade da luz, mas quase”, explicam os cientistas.

“Todas as críticas ao famoso motor de Alcubierre são irrelevantes, porque existe toda uma variedade de dobras espaciais que são físicas, e que podem ser usadas. Portanto, a equipe da Applied Physics demonstrou que a mecânica de dobras espaciais não está morta antes de nascer, mas sim é uma ciência física e viável”, disseram os pesquisadores.

VER MAIS:


Fontes: ABC e Science Alert

Imagens: Shutterstock.com, NASA e Gianni Martire/Applied Physics/Reprodução