ASTEROIDES

NASA poderia usar bomba nuclear para salvar a Terra em caso de impacto de asteroide

Durante exercício de simulação, foram discutidas opções para evitar uma catástrofe
Por: HISTORY Brasil

Recentemente, a NASA colocou em prática um exercício simulando o impacto iminente de um grande asteroide contra a Terra. A iniciativa teve como objetivo testar cenários e discutir quais seriam as melhores opções para evitar um evento catastrófico. Uma das possibilidades cogitadas é atingir o objeto espacial com uma bomba nuclear. 

Simulação de impacto de asteroide

A simulação aconteceu durante a 7ª Conferência de Defesa Planetária da Academia Internacional de Astronáutica. No exercício proposto pela NASA, um asteroide fictício chamado 2021 PDC seria descoberto na iminência de atingir nosso planeta. Então, os especialistas discutiram quais alternativas poderiam ser usadas para desviar ou destruir o gigante vindo do espaço, levando em consideração que haveria pouco tempo para agir.



No cenário imaginário, os especialistas calcularam que o asteroide deveria cair na República Tcheca, perto da fronteira da Áustria com a Alemanha. O 2021 PDC atingiria a Europa com o poder de 40 milhões de toneladas de TNT, o equivalente a uma grande bomba atômica. O impacto afetaria uma área de 150 quilômetros.

Segundo Lindley Johnson, que comanda a área de defesa planetária da NASA, caso o cenário fosse real, os cientistas considerariam seriamente a possibilidade de usar um artefato nuclear para tentar minimizar o impacto. Mas o especialista alerta que essa não seria a opção ideal. “Eu a chamo de solução de Hollywood. (Isso) não está totalmente fora de cogitação", afirmou.



Johnson contou que os cientistas discutiram a viabilidade dessa manobra durante a conferência. Mas, segundo ele, a operação seria muito arriscada devido a fatores como escassez de tempo e as restrições ao uso de dispositivos nucleares no espaço. Por isso, ele salientou a importância do monitoramento contínuo do espaço para que ameaças em potencial sejam detectadas a tempo. "O impacto de um asteroide é provavelmente um dos poucos desastres naturais que podem ser totalmente evitados caso se descubra com antecedência e tivermos a oportunidade de fazer algo a respeito", afirmou.

Por isso, a NASA monitora constantemente o espaço em busca de asteroides próximos que possam oferecer risco à Terra. Segundo a agência espacial dos Estados Unidos, não há motivos para se preocupar com qualquer colisão em um futuro próximo. Pelos critérios dos especialistas, são considerados potencialmente perigosos os objetos com mais de 140 metros de diâmetro que se aproximam do nosso planeta a uma distância de 0,05 unidades astronômicas (ou seis milhões de quilômetros). 

VER MAIS:


Fonte: Newsweek

Imagens: Shutterstock.com